Linx Commerce Linx Commerce

A loja virtual é o principal ambiente que permite a realização de negociação via internet. Embora o mercado virtual possibilite a venda de produtos e serviços por meio de mídias sociais, aplicativos e outros, é por intermédio de uma loja virtual que a grande maioria das vendas online são buscadas, finalizadas e acompanhadas. Saiba mais sobre as vantagens de ter uma loja virtual e confira dicas para montar uma loja online de sucesso com o Grupo DCG.

Loja virtual: definição

No entanto, antes de iniciar, é importante definir o que é uma loja virtual. De maneira geral, uma loja online é o ambiente no qual uma negociação via web acontece. É por meio de uma loja virtual que o consumidor faz a busca, encontra o produto ou serviço desejado, escolhe o tipo de pagamento e a forma de envio e, ainda, pode acompanhar o status de entrega do seu pedido. Por meio de uma loja virtual, também é possível receber atendimento via chat e outros meios de comunicação para sanar qualquer tipo de dúvida que possa surgir durante a negociação.

Também chamada de e-commerce, a loja virtual é uma forma de negócio que pode ser integrada aos mais diferentes parceiros para que se estabeleça no mercado virtual como uma empresa de sucesso, como: intermediadores/gateways de pagamento, sistema de frete e envio, fornecedores de produtos, parceiros de marketing, sistema ERP (que faz a automatização e integra todos os processos diários da empresa) e outros.

Tipos de loja virtual

Atualmente, existem no mercado virtual pelo menos três tipos de loja virtual. Esse modelo de negócio é definido tanto pelo perfil do empreendedor, quanto pelo perfil do consumidor final. Entenda:

  • Loja virtual B2B: Este é o modelo de loja virtual que promove negociações de empresa para empresa. Nesse caso, enquadram-se fornecedores, indústrias, revendedores e outros;
  • Loja virtual B2C: Este tipo de negócio intermedia vendas entre empresa e consumidor final. O modelo de negociação B2C é o mais conhecido no universo do e-commerce e se destaca como a grande maioria;
  • Loja virtual C2C: Este formato de negócio tem conquistado muitos adeptos, pois possibilita a venda de produtos e serviços de consumidor para consumidor. A forma mais usada é por meio das lojas virtuais estilo brechó ou pelos marketplaces (sistema virtual que permite a integração de diversas lojas online em um único ambiente).

Como montar uma loja virtual de sucesso?

Como montar uma loja virtual é uma questão frequentemente levantada entre os profissionais que desejam investir neste modelo de negócio. Confira seis passos essenciais que devem fazer parte da criação de uma loja virtual de sucesso:

  • Escolha uma plataforma de e-commerce completa. Este é, sem dúvida, o primeiro passo para ter uma loja virtual de sucesso. A escolha da plataforma é capaz de determinar o futuro deste negócio no mercado virtual, afinal uma empresa com capacidade para gerir e desenvolver projetos pequenos, médios, grandes e customizados é garantia de uma parceria que durará por muito tempo, acompanhando o progresso da sua empresa. Assim, a primeira dica é: conheça o Grupo DCG antes de fechar qualquer negócio.
  • Tenha ótimos parceiros de pagamento. Há, no mercado virtual, diferentes estruturas de meios de pagamento. Os mais comuns são os facilitadores ou intermediadores, que realizam todo o processo burocrático junto às instituições financeiras, e os gateways de pagamento, que fazem o trabalho da maquininha de cartão, sendo preciso que o empreendedor feche contrato com os bancos e as adquirentes. Cada modalidade apresenta seus benefícios e suas taxas e, por isso, vale pesquisar qual é o parceiro que mais se enquadra na operação de sua loja virtual.
  • Conte com uma parceria de antifraude confiável. Contar com um parceiro antifraude é a garantia de ter uma loja virtual totalmente segura. Esse sistema é capaz de proteger seu negócio de possíveis chargebacks e fraudes que consumidores mal-intencionados possam tentar provocar em sua empresa. É válido lembrar que há parceiros intermediadores de pagamento que fornecem este tipo de serviço no contrato.
  • Priorize uma loja virtual segura para seu consumidor. Além de garantir que a loja virtual seja segura para suas negociações, é muito importante priorizar, também, a segurança do consumidor online. Para isso, o ideal é contar com o Certificado SSL (Secure Socket Layer), que será o grande responsável por proteger todos os dados inseridos em formulários dentro da loja online, impedindo que possíveis invasores roubem informações dos clientes.
  • Opte por parceiros de marketing competentes. Para que uma loja virtual seja encontrada facilmente pelo consumidor, ela precisa de um ótimo trabalho de marketing e divulgação. Ações como SEO (otimização para sites de busca), e-mail marketing, Google Adwords (anúncios nas páginas do Google), Facebook Ads (anúncios no Facebook), comparadores de preço e outros são os principais canais em que uma loja virtual deve estar inserida.
  • Certifique-se de contar com ótimos fornecedores. Os fornecedores certos são a garantia de satisfação aos consumidores, afinal, eles são a origem dos itens comercializados em sua loja virtual. Por isso, busque por empresas confiáveis e que tenham seriedade, também, na reposição de produtos no site.

O que a legislação determina sobre loja virtual no Brasil?

A legislação brasileira determina, em seu Decreto Federal número 7.962/13, conhecido como a Lei do E-commerce, que uma loja virtual, independentemente do tipo e do tamanho, seja ela pequena, média, grande, personalizada ou marketplace, deve seguir as seguintes exigências:

Exibir informações claras e visíveis

Dados importantes como endereço, CNPJ, telefone, opções de pagamento, descrição original de produtos, e-mail, prazo estimado para a entrega, política estabelecida de trocas e devoluções, resumo do carrinho de compras e outros dados devem estar presentes na loja virtual de maneira visível e com acesso facilitado para o consumidor.

Oferecer atendimento ágil e eficaz

Como a loja virtual possibilita negociações 24 horas por dia, sete dias por semana, é preciso que essa vantagem seja acompanhada da responsabilidade de estar disponível ao consumidor sempre que ele precisar de auxílio durante a negociação virtual. Mas, como nem sempre é possível manter funcionários disponíveis ininterruptamente, o ideal é adicionar um FAQ que tire as dúvidas do consumidor.

Respeitar o direito de arrependimento do consumidor

Por último, a legislação determina que o consumidor virtual tem o direito de se arrepender da compra realizada em até sete dias após o recebimento do produto. Essa mesma lei ainda assegura que este cliente não terá nenhuma parte do valor pago descontada, e até mesmo as despesas de logística reversa serão de responsabilidade da loja virtual.

Loja virtual ou marketplace?

Enquanto a loja virtual é um ambiente exclusivo da sua empresa, em que todas as operações são realizadas e registradas dentro de um painel de controle, que pode ser integrado a um sistema ERP, o marketplace trata-se de um ambiente também conhecido como vitrine, que abre espaço para que outras lojas virtuais apresentem suas ofertas para produtos e serviços.

No entanto, diferentemente do que alguns empreendedores possam pensar, o marketplace não é um modelo de negócio contrário à loja virtual. Pelo contrário, afinal, os dois canais de vendas podem trabalhar juntos para alavancar o número de pedidos, a taxa de conversão da empresa e o nível de reconhecimento da sua marca.

Dessa forma, enquanto a loja virtual é a maneira mais objetiva e direta de conquistar clientes e fechar negociações, o marketplace é capaz de atrair outro perfil de consumidor que, até então, nem era conhecedor do seu negócio. Vale destacar, contudo, que priorizar uma plataforma de e-commerce que ofereça integração com marketplaces é fundamental para garantir essa união.

Loja virtual: quais oportunidades aproveitar?

Quando o assunto é loja virtual, o planejamento do negócio deve ser muito bem estruturado desde o seu início. Isso significa que escolher o segmento certo pode indicar um belo caminho de sucesso para a sua empresa, afinal, cada ramo de negócio apresenta maior ou menor índice de interesse do consumidor virtual.

Atualmente, entre as categorias de vendas que mais se destacam, estão: moda e acessórios, saúde e cosméticos e eletrodomésticos. Mas há um grande crescimento em volume financeiro para o ramo de telefonia e celulares e, também, para produtos eletrônicos. Assim, entre as oportunidades que podem ser aproveitadas no e-commerce, analisar em qual segmento sua loja virtual deve investir é uma delas.

Além deste ponto, outra porta de oportunidade que pode ser aproveitada no mercado virtual são as datas comemorativas, pois, da mesma forma que o varejo tradicional aposta em períodos comerciais, como Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Black Friday, Natal, Páscoa, Copa do Mundo e outros, as lojas virtuais também podem valer-se desses momentos comerciais de maior procura por produtos e serviços para ampliarem seus faturamentos.

Fica, no entanto, um alerta: o período de entrega dos produtos no e-commerce deve ser muito bem calculado para que o consumidor receba seu pedido dentro de um prazo confortável para usufruir do item na data comemorativa em questão, como amigo secreto em época de Natal, presente para Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia dos Namorados, além de outras situações semelhantes.

Como medir o sucesso da sua loja virtual?

Mas diante de todos os investimentos realizados na loja virtual, como saber se o negócio está em boas condições de desenvolvimento e faturamento? Medindo seus resultados! Para mensurar o crescimento de uma loja virtual, o ideal é contar com KPI’s ou índices de performance que revelam dados baseados em um determinado período de tempo, para medir se este negócio está crescendo ou precisa ser submetido a reformulações.

Entre os KPIs mais famosos e aplicados para considerar o sucesso de uma loja virtual, estão: taxa de conversão, tráfego da loja, abandono de carrinho, ROI, taxa de rejeição e velocidade de resposta, em que:

  • Taxa de conversão revela se a quantidade de visitantes na loja é compatível com o número de pedidos recebidos dentro de um determinado período. Para calcular a taxa de conversão da sua loja virtual, é preciso somar o número de vendas pelo número de visitantes registrados na loja dentro deste mesmo período. O resultado indicará se sua loja virtual está caminhando bem ou se é preciso encontrar caminhos para que mais visitantes finalizem compras.
  • Tráfego da loja é o KPI responsável por indicar a quantidade de visitantes que as campanhas de marketing estão levando para a loja virtual. No Google Analytics, essa métrica é chamada de “Sessões” e pode ser verificada, analisada e comparada com períodos anteriores.
  • Abandono de carrinho é a métrica que indica quantos consumidores chegam ao processo de checkout, mas desistem da compra. Esse fator revela se a finalização de compra é confusa, se o valor do frete é muito alto, se as formas de pagamento disponíveis não são suficientes e outras vertentes. Essa métrica também pode auxiliar na estratégia de remarketing.
  • ROI ou “retorno sobre o investimento” é uma famosa métrica que indica se suas campanhas de marketing estão promovendo bons resultados. Com esse cálculo, é possível investir mais ou menos em uma determinada campanha. Para calcular o ROI corretamente, considere a  seguinte conta:

ROI = (Receita – Custo) x 100

Custo

  • Taxa de rejeição é a métrica que indica que algo está errado com a loja virtual, porque mostra que o consumidor, por algum motivo, está passando menos tempo do que deveria dentro do seu e-commerce. A partir dela, é preciso analisar o que, de fato, está levando o consumidor embora.
  • Velocidade de resposta é o KPI que indica o tempo de carregamento da página. Este fator é determinante para o sucesso de uma loja virtual, porque muitos consumidores desistem de navegar em um ambiente com carregamento lento. Por isso, é muito importante atentar-se a esta métrica.

Monte sua loja virtual com o grupo DCG

Agora que você já conhece todos os fatores que podem levar uma loja virtual ao sucesso, é hora de encontrar a plataforma de e-commerce perfeita para sua operação. O Grupo DCG é a solução mais completa em funcionalidades para negócios pequenos, médios, grandes e customizados, permitindo que você venda para empresas, para pessoas e nos maiores marketplaces do país, como Mercado Livre, Via Varejo, Walmart.com, B2W e muito mais!

Atualizado há 20 dias