Linx Commerce Linx Commerce

De acordo com o instituto de pesquisa estadunidense, eMarketer, quem tem um e-commerce ou está pensando em abrir um, só tem motivos para sorrir. O mercado continua em alta e promete ser ainda mais favorável para quem deseja ser dono do seu próprio negócio virtual.
O Brasil está na 10ª posição na lista de maiores vendedores online do mundo, sendo o único país que representa a América Latina. E, em 2018, a estimativa é que o comércio eletrônico some 5% no crescimento das vendas físicas e digitais.
Por estimar-se que o varejo virtual ultrapasse o físico, em 5 ou 10 anos esse número pode subir de 5% para 7%.

Fazendo uma comparação com os mercados de e-commerce pelo mundo, podemos constatar que os Estados Unidos, Europa e Ásia concentram mais de 9% das suas vendas no comércio eletrônico. Isto é uma forte tendência para o Brasil que está na mesma linha de crescimento, mesmo que um pouco desacelerado pela economia.

A empresa yStats.com estimou por meio de estudos que o setor de e-commerce movimentará mais de R$ 60 bilhões. Em 2010 a penetração do comércio eletrônico era de apenas 19% no Brasil e acredita-se que a grande disseminação da compra online tenha sido devido à preocupação com um bom marketing digital vindo das lojas virtuais, que deram vazão a fretes grátis e um trabalho estruturado junto ao público de interesse, além de claro, o acesso da população ao mobile.
Já é bastante notável que o mercado está promissor e que valerá a pena investir em e-commerce em 2018, seja para quem já tem uma loja virtual e deseja garantir que seu negócio prospere, ou seja para quem está com o projeto de começar a empreender digitalmente.
Mas é importante se preparar para as principais tendências para o próximo ano, para que seu planejamento seja feito no que será destaque no mercado.

A tecnologia dos chatbots

Os chatbots prometem ser uma forte tendência para o ano que vem. Os robôs de inteligência artificial simulam uma conversação totalmente humanizada, de forma que o consumidor nem note que suas principais dúvidas, reclamações e sugestões estejam sendo respondidas por um programa de computador.
A comunicação se torna bastante simples sem nenhuma interação humana, e por meio dele é possível até saber as preferências do cliente, ofertando o produto certo e resolvendo problemas, poupando esforço e tempo do lojista.

Experiência de compra cada vez mais avançada

Nós já sabemos que oferecer uma experiência de compra impecável é uma obrigação, e não mais um diferencial. Mas para 2018 a tendência é que os dados trocados entre loja e consumidor, e também o histórico de navegação, sejam usados para ofertar produtos e serviços similares a rotina do cliente.
Essa personalização tem o poder de criar um vínculo muito maior com o usuário, além de criar uma necessidade de compra que talvez ele nem sabia que tinha. Ou seja, seu negócio criará o problema e dará a solução, o que promete muito mais vendas e fidelização para sua loja virtual.

O conteúdo em vídeo gera diferencial 

Ver um vídeo é rápido, fácil e pode ser feito em qualquer lugar. Certo?  
Pois é, o conteúdo em formato de vídeo pode dar à sua loja uns pontos extras na nutrição do público alvo, e no ano que vem promete crescer ainda mais.

Um estudo do Google, em parceria com a Kantar Worldpanel, GfK, Data2Decisions e BrandScience, afirmou que 77% dos anúncios veiculados no YouTube rendem mais que na TV, ou seja, convertem mais compra.

Mas, produzir vídeos requer alguns recursos, e nem sempre os e-commerces pensam nele como uma boa propaganda para seu negócio. A verdade é que o conteúdo em vídeo apresenta muitas vantagens e pode sim ser o diferencial para suas vendas.

A solução Omnichannel ganha mais força

A solução Omnichannel consiste na integração dos muitos canais que um negócio possui. Por exemplo, na entrega do produto ao consumidor, aonde as compras que foram feitas pela internet, podem ser retiradas na loja física (mesmo que isso signifique usar um parceiro do seu negócio).
Grande tendência do mercado, o Omnichannel pode ser mais um motivo para chamar a atenção do consumidor, pelas facilidades oferecidas.

Funis de conversão mais curtos

A tendência para o próximo ano, e para os consecutivos, é que os funis de venda sejam pensados de forma mais curta. Isso quer dizer que as campanhas serão mais focadas, e com gastos muito menores.
Apesar das ferramentas de Remarketing terem melhorado muito, as campanhas precisam ser mais trabalhadas, o que consequentemente reduzirá bastante o investimento em mídia paga. As opções de ferramentas para segmentação estão aumentando, e isso pode ser usado pelo seu e-commerce como um passo à frente da concorrência.  
Lembre-se de que se você conhece seu público alvo, seu funil de conversão tende a ter menos etapas e ser mais rápido, e dessa forma você vende muito mais.

Atualizado há 1 dia